[Como gerir marcas na era dos micromomentos] Capítulo 21: O impacto nos micromomentos

Feito isso, toda e qualquer marca estará preparada para se manter onipresente no espectro de seu público.

Trabalhar micromomentos significa, afinal, entender o dinamismo dos nossos tempos e considerar que a velocidade da resposta é significativamente mais importante do que a qualidade da resposta, por mais estranho que isso possa soar a ouvidos que se habituaram à sinfonia utópica da perfeição.

E, no final das contas, essa mesma (aparente) superficialidade é tamanha que, em linhas gerais, ela pode resumir a maneira de se operar em três regras simples:

  1. Garantir uma autonomia decisória quase empreendedora aos funcionários
  2. Dedicar menos tempo a pesquisas e planejamentos destinados a eliminar o “ineliminável” risco e aprender a testar conceitos ao vivo, diretamente com o público-alvo
  3. Abraçar a possibilidade do erro como parte do processo inovador e garantir ferramentas de correção de rota ágeis

getty_117233961_82181

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s