A barulhenta linha de montagem da alta produtividade

Ontem, postei aqui sobre a linha de montagem de mosaicos orientais. Tudo lindo, perfeito, quase mecânico.

Excluindo o elemento da beleza, calçadas também são mosaicos. São menos trabalhados, claro, e feitos com propósitos muito mais práticos – mas, ainda assim, são definidos pela “costura” de materiais brutos até que formem plataformas.

A grande questão é que a demanda por calçadas é muito, mas muito maior do que a demanda por mosaicos feitos para ornamentar casas ou templos. Precisa-se de algo rápido e barato para facilitar a vida dos pedestres.

É aí que entra a inovação: quanto mais se automatizar o processo, melhor. Mais rápido, prático e barato ele ficará.

Resultado? Veja o que está já sendo testado pelo mundo:

(A propósito: postamos aqui, há algum tempo, outra matéria sobre uma máquina capaz de imprimir casas – literalmente. Já fica claro para onde o mundo está caminhando.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s