Tóquio saturando os sentidos

Partindo do princípio de que a melhor – ou pelo menos a mais intensa – forma de se viver é mergulhando de cabeça no caos, as grandes cidades sao um prato cheio. 

Acompanhe o raciocínio: 

Se você passar todo o tempo que tiver em um ambiente calmo, relaxado, com paisagens plácidas e um estilo que possa ser definido como zen, terá poucos estímulos com os quais trabalhar. E, por estímulo, entenda tudo: cenas diferentes desfilando pelas córneas, comidas exóticas desafiando o paladar, cheiros que vão dos mais puros aromas aos mais repugnantes odores, materiais plasticamente distintos que chocarão o seu tato a cada toque. Cada uma dessas diferenças, dessas novidades, gerará alguma espécie de sinapse diferente em seu cérebro – algo que o tirará da zona de conforto que ele naturalmente busca o tempo todo. 

O resultado disso? Incômodos sucessivos. E o que incômodos buscam? Soluções capazes de aniquilá-los. 

Em outras palavras: o caos de sensações acabará forçando o seu cérebro a buscar algum tipo de ordem, de inovação que possa ser aplicada em uma vida pessoal ou como um produto para atender a toda uma sociedade. Já postei isso inúmeras vezes aqui no blog e repito: inovação nasce do caos – apenas do caos. Se tudo estiver calmo e ordenado, afinal, simplesmente não há motivo para se perder tempo pensando em nada novo. 

Esses dias eu me deparei com um vídeo que sintetiza exatamente esse pensamento feito por um cineasta amador. Em linhas gerais, é uma espécie de mini-documentário quase sensorial sobre um dia em Tóquio. Seu raciocínio: a metrópole é tão cheia de contrastes, tão forte e intensa, que ela impressiona pela soma de suas personalidades. 

O texto, infelizmente, não tem legenda em português – mas a música e a fotografia são mais do que o suficiente para que se entenda a mensagem. 

Uma coisa eu garanto: essa saturação de sentidos proporcionadas pelo gigante asiático é uma das coisas mais sedutoras que já vi. Dá vontade de voar imediatamente para lá e sorver toda essa vida que a capital japonesa oferece. 

(Mas, nessa mesma linha de raciocínio… não é também o mesmo estilo que grandes cidades como Nova York, Paris, Londres, Johannesburg e São Paulo também oferecem?)

Tokyo Roar from Brandon Li on Vimeo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s