Escolha as armas certas para usar nas redes sociais

Em uma guerra, a escolha adequada de suas armas pode ter uma influência decisiva no desenrolar dos combates. Dependendo das circunstâncias, pode ser necessário fazer uma intervenção pontual, atacando um alvo específico com efeitos colaterais reduzidos, ou uma ação de alto impacto, com forte poder destrutivo e responsável por sequelas memoráveis.

A competição pelas mentes do consumidor nas mídias sociais não é diferente – só que as armas, nesse caso, podem ser entendidas como os diferentes “ambientes sociais”.

Na prática, é possível classificar 5 tipos de ambientes, diferenciando-os tanto pelas suas características básicas quanto pela força viral e teor analítico que carregam.

Por exemplo: uma postagem feita no Twitter costuma ser altamente replicável (tanto pela costumeira simplicidade, delimitada pelo máximo de 140 caracteres, quanto por permitir mecanismos de propagação naturais via “retweets”). Por outro lado, dificilmente um tweet portará algum tipo de análise sofisticada que, por natureza, demanda um espaço textual maior.

Um fórum no Orkut, por sua vez, tem características opostas: dependendo do assunto, os debates centrados nele podem ser longos, multilaterais e aprofundados. Em contrapartida, a propagação de fóruns perde força pela complexidade de se fazer um usuário entender uma discussão inteira antes de participar.

Na prática, os dois ambientes – Twitter e Orkut – pertencem à mesma família de ferramentas colaborativas tão características dos nossos tempos. Ambas são mídias sociais importantes, mas tratá-las como iguais pode ser um grave erro estratégico.

Estratégias diferentes em mercados diferentes

A relevância de cada ambiente social para uma estratégia é determinada pelas circunstâncias do cenário competitivo e pelo objetivo prioritário da marca: ou ela deseja se tornar mais conhecida (sendo a força viral mais importante) ou deseja comprovar a sua superioridade em relação às concorrentes perante uma audiência já formada (sendo o teor analítico mais importante).

Veja, na tabela abaixo, como cada um dos ambientes se comporta em relação a esses dois tipos de prioridade:

01tabela-art 2

Imagine, por exemplo, que você seja o gestor de uma concessionária de veículos, um dos mercados mais fragmentados e competitivos existentes. Com poucas marcas conhecidas, ambientes com alta força viral podem ser considerados as armas primárias. O motivo é simples: dependendo (claro) da qualidade das postagens feitas em redes como o Twitter, Facebook e YouTube, a marca acabará atingindo uma quantidade maior de pessoas e ampliará a parcela de usuários que a conhecem.

Blogosfera e redes sociais ficam, neste caso, em segundo plano, tendo o papel de trabalhar a audiência gerada (sem a qual nada aconteceria) para convencê-la dos diferenciais da marca. O plano estratégico da marca fica conforme a ilustração abaixo:

01

Se você for o gestor de uma fabricante de celular, as circunstâncias mudam de maneira drástica. Com relativamente poucos competidores, são grandes as chances da sua marca já ser conhecida e de ter uma audiência formada – seu objetivo passa a ser o de torná-la reconhecida(seja pela qualidade ou competitividade financeira).

Isso significa que o foco da estratégia será em ambientes como a blogosfera, redes sociais e a imprensa online, gerando conteúdos mais aprofundados e que comprovem a superioridade dos produtos ou serviços. Em paralelo, os demais ambientes (microblogs e redes virais) terão um papel secundário, sendo responsáveis por canalizar ainda mais acessos aos ambientes primários.

02

É claro que armas não bastam para vencer uma guerra: é preciso saber dar os disparos certos nos momentos certos, costurando táticas de relacionamento e postagens em um plano que depende da qualidade analítica de cada gestor, em cada empresa. Em outras palavras, posicionar o Twitter à frente de uma estratégia social, por exemplo, não é garantia de que os seus tweets serão interessantes o suficiente para gerar números substanciais de seguidores – e nem de que esse seguidores se manterão fiéis ou “comprarão” o seu discurso de marketing.

Mas um posicionamento estratégico adequado às circunstâncias mercadológicas já é um passo fundamental para se conquistar mais espaço nas mídias sociais e, consequentemente, nas mentes e corações dos usuários.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s